Está offline. para recarregar esta página conecte-se a uma rede.
Hoje
18º / 26º
Formação

Aprender a Identificar 100 Especíes de Insetos no Parque Ecológico Urbano

  • Atividades
  • Aprender a Identificar 100 Especíes de Insetos no Parque Ecológico Urbano
Para além da introdução à biologia e ecologia dos insetos em geral e destes grupos-alvo em particular, este curso tem uma forte componente prática. Pretende-se uma constante aplicação do conhecimento, recorrendo a coleções entomológicas, fotografias, e visitas ao parque, de modo a passar a conhecer na ponta da língua um conjunto de 100 insetos que vivem no Parque Ecológico Urbano de Viana do Castelo.
Formação | De 14 outubro 2017 a 28 outubro 2017 das 10:00 às 12:30 e de 14 outubro 2017 a 28 outubro 2017 das 14:00 às 17:00

O primeiro desafio que se coloca a todos os interessados em conhecer melhor este grupo é simples: com tamanha diversidade de espécies, formas e funções, como é que se inicia o seu estudo?  Como é que se poderá incluir este grupo de animais nas matérias de ciências naturais e biologia do ensino básico e secundário?


Enquadramento

Todos os ecossistemas terrestres são dominados por insetos, tanto em relação à diversidade como à biomassa. São os insetos que desempenham funções ecológicas vitais que permitem o natural funcionamento dos ecossistemas, sendo responsáveis pela reciclagem de nutrientes, polinização, controlo de pragas e potenciais doenças, estando igualmente na base das cadeias tróficas que permitem a existência de outros grupos de animais, como anfíbios, répteis, aves ou mamíferos. Desde modo, os insetos são uma parcela da biodiversidade essencial para compreender e transmitir o conhecimento sobre Ecologia, Qualidade Ambiental, Serviços de Ecossistemas ou Conservação da Natureza e Biodiversidade de qualquer tipo de habitat terrestre, incluindo espaços urbanos.


Objetivos

A proposta deste curso de iniciação aos insetos é pegar pela identificação das espécies mais comuns de três ordens de insetos conspícuos e de elevado interesse como bioindicadores: as libélulas como sinal da qualidade dos cursos de água doce; os gafanhotos como informativos sobre a capacidade de construção das cadeias tróficas complexas num determinado local; e as borboletas diurnas como indicadores da diversidade florística e consequentemente da qualidade dos ecossistemas terrestres.

 

Para além da introdução à biologia e ecologia dos insetos em geral e destes grupos-alvo em particular, este curso tem uma forte componente prática. Pretende-se uma constante aplicação do conhecimento, recorrendo a coleções entomológicas, fotografias, e visitas ao parque, de modo a passar a conhecer na ponta da língua um conjunto de 100 insetos que vivem no Parque Ecológico Urbano de Viana do Castelo.

Resumo
Categoria
Formação